Conheça as três principais tendências apontadas na NRF 2019, maior feira de varejo do mundo

A edição 2019 do maior evento de varejo do mundo, a NRF (Retail’s Big Show & Expo), movimentou Nova Iorque ainda mais durante o mês de janeiro. O coordenador de projetos de varejo do Sebrae, Fabiano Zortea, esteve no evento pelo sétimo ano. Em março, ele vai palestrar na CDL Caxias no já tradicional evento de Pós NRF. Por enquanto, ele contou ao blog as três principais tendências observadas por lá:

Humanização do varejo

“Existe muita tecnologia hoje em dia, o que ajuda a qualificar a experiência do consumidor. Mas para o varejo ter sucesso, ele precisa ter na sua liderança uma pauta focada na gestão de pessoas. Entender o vendedor como a principal inteligência estratégica da marca. Com toda essa onda tecnológica, ter as pessoas engajadas com o propósito da marca é um diferencial, especialmente quando é um negócio pequeno, que é o caso da maioria dos associados da CDL e das empresas do país todo. É preciso entender o que é importante aos vendedores, quais os maiores benefícios, conectá-los aos valores da empresa, para que tudo isso chegue no cliente com consistência. Tradicionalmente, o varejo coloca o cliente em primeiro lugar, mas o debate, esse ano, coloca o vendedor, o time de vendas como o principal.”

Integração do online com o offline

“Não existe mais essa ideia de o digital acabar com a loja física. O digital faz parte da condição de ter negócio de varejo, assim como a loja física. É preciso estar nos dois canais. A Amazon, por exemplo, um dos principais players do digital, está abrindo lojas físicas. O Walmart, clássico do físico, vem ganhando presença digital. É um movimento puxado pelo consumo, o cliente quer comprar pelo digital em um dia e em outro dia ir na loja física e ter contato com o produto.”

Comprar na loja digital e retirar na loja física

“O varejo precisa permitir que o cliente compre no digital e retire na loja física, se preferir. Isso veio esse ano como tendência no comportamento do consumidor, pois se está até 2 km da casa dele, ele quer ir buscar para não ter que aguardar pela entrega e também não pagar frete. O imediatismo como comportamento de consumo faz com que o varejo tenha que se reposicionar. O consumidor está sabendo que pode exigir mais das marcas.”

A partir disso, a CDL está preparando um grande evento Pós NRF 2019. Será no dia 20 de março, com o consultor Fabiano Zortea. Salve a data na sua agenda e acompanhe nossos canais de comunicação onde, em breve, divulgaremos mais informações.

Alguns outros insights da NRF 2019:
(Fonte: texto de Flavio Simões, no site Época Negócios)

Inteligência Artificial

– App de integração de promoções e descontos;
– Plataforma completa de integração com todos os detalhes do mercado de e-commerce e comércio eletrônico;
– Totem interativo para pesquisas com foco em lojas físicas;
– Prateleiras inteligentes controlando estoque das mercadorias com foco em supermercado e drogarias;

Transformação Digital

– Impressoras 3D: stands que oferecem desde calçados a capinhas de celular personalizadas;
– Navegação 3D no mundo do e-commerce promovendo uma experiência de realidade virtual;
– Soluções de cloud de pagamentos omnichannel –  um sistema que cruza a automação de e-commerce com mundo físico;
– Glass Mídia, painel oferecendo interação inovadora ao consumidor;
– Visual Merchandising, mecanismo para uma boa exposição dos seus produtos;

Tecnologia e Dados?

Trazer uma nova abordagem para a tecnologia, transformando e aperfeiçoando o mecanismo para obter um banco de dados seguro.

Excelência operacional

Gerar inovação e experiência ao cliente, utilizando ativos e sustentabilidade para desenvolver uma logística estratégica para o mercado.

Relação direta na jornada do cliente

As empresas necessitam entender a necessidade e desejo do seu consumidor e colocá-lo como centro da estratégia no planejamento ativo na execução.

Lojas e Ecossistemas

Plano estratégico sem atrito, fácil, inteligente, oferecendo soluções convenientes e com experiência elevada. Sistema integrado através da loja, soluções financeiras, redes sociais e entretenimento.

Cultura, Posição e Transformação
Cultura: com princípios e propósitos – empresas e marcas precisam ter “alma”, transmitir o seu valor para o cliente se sentir abraçado.

Posição: transparência e autenticidade – as marcas necessitam de um posicionamento definido mesmo quando não agradam todos os públicos.
Transformação: cultura digital e desafio do modelo de negócios – as empresas precisam ter coragem para se transformar sem perder a sua essência.

Deixe uma resposta