Descubra 5 ações efetivas para diminuir a inadimplência na sua empresa

7 minutos para ler

Infelizmente a inadimplência, tanto de pessoas físicas quanto de jurídicas, se tornou um problema comum no Brasil. Diante desse cenário, todo empreendedor que deseja manter a saúde financeira do seu negócio estável precisa saber lidar com a falta de comprometimento de alguns clientes. Isso porque permitir que haja acúmulo dos pagamentos em atraso pode impedir a continuidade do sistema operacional da empresa, além de contribuir com o surgimento de novos gastos.

Sendo assim, saber como diminuir a inadimplência é fundamental em qualquer segmento. Logo, o primeiro passo para desviar das contas em atraso é criando um planejamento estratégico, tático e operacional. Esse plano tem como objetivo assegurar que os pagamentos sejam efetuados dentro do prazo correto garantindo, assim, que as operações da sua empresa se mantenham constantes.

Sabendo da importância desse assunto, preparamos este artigo com 5 ações que vão ajudar você a reduzir o número de inadimplentes na sua empresa. Quer saber quais são? Então, acompanhe a leitura!

1. Informar-se sobre o cliente

No Brasil, 40,6% da população adulta tem contas atrasadas e negativadas. Isso significa que há mais de 63,840 milhões de inadimplentes espalhados pelo território brasileiro. Diante desses dados, percebe-se a importância de verificar o histórico dos seus clientes para saber se são de fato bons pagadores.

Além disso, saber quem são seus consumidores é fundamental para estabelecer ações mais precisas que vão garantir um retorno positivo. Sendo assim, para conhecer seu público-alvo é preciso coletar informações relevantes sobre o perfil de cada cliente. Nesse caso, é ideal que durante a realização de uma venda seja solicitado dados básicos, como:

  • nome completo;
  • CPF;
  • telefone para contato;
  • e-mail.

Caso o cliente já tenha feito esse cadastro não é necessário refazê-lo, pois basta solicitar que seja feita a atualização das informações. Isso porque quando se tem em mãos um cadastro completo de cada cliente se torna mais fácil elaborar estratégias mais eficientes, além de permitir verificar o histórico de cada consumidor, a fim de identificar quem mantém as contas em dia.

2. Ter critérios para ceder ou não o crédito

Diante de um mercado cada vez mais competitivo, é natural que cada empresa procure elaborar soluções eficientes para atrair e fidelizar seus clientes. Nesse contexto, as vendas a prazo se tornou uma estratégia muito usada por diversos gestores. Contudo, para garantir a segurança financeira do seu negócio é preciso dispor de uma boa política de crédito. 

Esse documento reúne um conjunto de critérios e condições que concede ou não o crédito para o cliente. Quando bem elaborada, a política de crédito, além de reduzir o número de inadimplentes ajuda o gestor a desenvolver um planejamento financeiro mais eficiente que aumente as vendas e que garanta o fluxo de caixa.

Estabeleça critérios de cobrança

Existem diferentes tipos de políticas de crédito. Sendo assim, cada empresa tem a liberdade de adotar o modelo que mais atende às suas necessidades e definir os critérios de cobrança conforme a sua realidade atual e os seus objetivos. Apesar de ser um documento flexível e individual, há cinco modelos que são mais utilizados pelos gestores:

  • crédito liberal e cobranças rigorosas: o cliente tem acesso facilitado ao crédito, porém, as cobranças são feitas de forma rigorosa;
  • crédito rigoroso e cobranças liberais: o crédito só é liberado para aqueles clientes que apresentam maiores chances de cumprir com os pagamentos;
  • crédito rugoso e cobranças rigorosas: os critérios aplicados para a liberação do crédito e cobrança são mais rígidos;
  • crédito liberal e cobranças liberais: os critérios adotados para a liberação do crédito e cobrança são mais flexíveis;
  • crédito moderado e cobranças moderadas: os critérios utilizados têm como objetivo manter um equilíbrio na hora de liberar o crédito e no momento de realizar a cobrança.

Estabelecer os critérios para a realização das cobranças é muito importante para obter êxito da ação. Por esse motivo, cada empresa deve pensar na melhor forma de chegar até o cliente, uma vez que, hoje, é possível recorrer a canais de comunicação como o WhatsApp, por exemplo. Além disso, se manter aberto para possíveis renegociações e manter a boa comunicação faz toda a diferença nesse momento, ok? 

3. Terceirize os serviços de inadimplência

Só quem já precisou cobrar uma dívida atrasada de um cliente sabe como essa ação requer cuidado na hora de realizar a cobrança. Isso porque, quando o ato é feito de forma inapropriada as chances de que ambos terminem a negociação frustrados são altas. Tendo em vista a complexidade da ação, muitos gestores têm optado por terceirizar os serviços de inadimplência.

Ao confiar essa função nas mãos de profissionais capacitados, aumenta significativamente as chances de obter um resultado satisfatório para os dois lados. Afinal, a equipe contratada está preparada para lidar com diferentes situações e perfis de clientes. Além do mais, sabem qual a melhor abordagem adotar e percebem com mais clareza o momento mais adequado para aplicar a estratégia de negociação.

Afinal, não basta saber cobrar é preciso ter a capacidade de apresentar a melhor estratégia de negociação para o cliente e ir moldando a proposta conforme a conversa vai sendo desenvolvida. Por isso, é preciso se atentar para fatores importantes como a situação atual do cliente e, assim, buscar formas de quitação que sejam viáveis para o seu perfil sem causar prejuízos para a empresa. 

Diante disso, é necessário ressaltar a importância de ser criterioso no momento de escolher a empresa parceira. Afinal, ela será a responsável por garantir a redução no número de inadimplentes, por isso, deve ser analisado se a equipe é composta por profissionais bem qualificados e que sejam comprometidos com o que fazem.

4. Pontuar clientes de acordo com o risco de inadimplência

Independentemente do tamanho da sua empresa, é bem provável que a sua cartela de clientes é composta por diferente perfis de consumidores. Sendo assim, a estratégia utilizada em um pode não ter o mesmo resultado quando aplicada em outro, daí a importância de dividi-los em grupos conforme o risco de inadimplência de cada um.

Ao adotar esse tipo de estratégia se torna mais fácil desenvolver um plano de ação específico para cada grupo. A vantagem disso é que o gestor consegue utilizar uma linguagem mais adequada, além de apresentar soluções que estejam de acordo com o perfil do consumidor garantindo, assim, um retorno positivo.

5. Ofereça vantagens quem pagar em dia

A maneira mais segura e eficiente de lidar com a inadimplência é evitando que ela apareça. Nesse sentido, oferecer vantagens atraentes para quem mantém as contas em dia é uma forma de garantir que o número de inadimplentes seja minimizado ao máximo. Quando se oferece benefícios para o cliente que cumpre com os pagamentos dentro do prazo correto serve como um estimulante para que ele continue mantendo o bom costume.

Com base nessas informações, percebemos que é totalmente possível diminuir a taxa de inadimplência, desde que você adote medidas eficientes para alcançar esse objetivo. Nesse sentido, ao colocar em prática todas essas dicas e dispor, é claro, de uma política de cobrança bem traçada não resta dúvidas de que o número de inadimplentes será reduzido significativamente.

Gostou do artigo e deseja ler mais conteúdos como este? Então, confira nossa dica para você saber lidar com clientes que não pagam.

Você também pode gostar

Deixe um comentário