Vendas para o Dia das Crianças devem ser menos prejudicadas pelo coronavírus, aponta pesquisa da CDL Caxias do Sul

6 minutos para ler

Os impactos econômicos em decorrência da Covi-19 estão em ritmo de desaceleração no comércio caxiense. A pesquisa de intenção de compras do Dia das Crianças, promovida anualmente pela CDL Caxias do Sul, identificou que apenas 17% dos entrevistados alegaram que a pandemia afetará muito suas compras para data. Em maio, no Dia das Mães, este índice chegou a 59% e em agosto, no Dia dos Pais, a 50%. A amostragem foi realizada de 12 a 20 de setembro e a pesquisa completa pode ser acessada ao final deste conteúdo.

Apesar da melhora, o cenário ainda é de apreensão e instabilidade, o que deve refletir na queda das vendas para o Dia das Crianças. Baseada nos resultados do levantamento, a entidade estima que, neste ano, haverá uma redução de 25% na intenção de compras em relação a 2019.          

“O que percebemos é que a instabilidade do ambiente está fazendo com que as pessoas sejam mais conservadoras nas suas respostas, mas na hora prática, se o cenário estiver bom, ela pode mudar de decisão. Por outro lado, se na semana do Dia das Crianças estivermos em um cenário mais negativo vai ter uma desaceleração. Ou seja, a pesquisa pode virar positivamente conforme nos aproximarmos da data. Se nos mantivermos neste cenário atual, positivo, com redução de casos e de mortes no Rio Grande do Sul e se o Estado seguir em bandeira laranja no Distanciamento Controlado, acreditamos que a projeção de queda nas vendas pode ser menor que os 25%, ficando entre 10% a 15% abaixo, na comparação com o ano anterior”, contextualiza o gerente Administrativo Financeiro da CDL Caxias do Sul, Carlos Alberto Cervieri.

Segundo a pesquisa de intenção de compras promovida pela CDL Caxias, 40% dos entrevistados afirmaram que pretendem presentear no Dia das Crianças. No ano anterior, este movimento era de 57%. O ticket médio será de R$ 198, redução de R$ 30 frente a 2019. Brinquedos e roupas, além de calçados devem ser os mais procurados, com 46,71% e 36,85% da preferência, respectivamente.

“Provavelmente, teremos uma redução de 14% no valor do investimento para a data. Caiu o poder aquisitivo da população e o consumidor não está confortável com a situação que estamos vivendo, sem previsibilidade de cenário. Percebemos isso nas respostas conversadoras da pesquisa. As pessoas não sabem se terão dinheiro, se estarão empregadas, por exemplo”, explica Cervieri.

O levantamento apurou que 45,77% dos presentes serão para os filhos, 22,54% para os afilhados e 16,20% para os sobrinhos. Cerca de 31% das crianças escolherá o artigo. Em 2019, o índice era de 61%. Apesar de não pedirem pelo produto, 60,39% das crianças falam sobre brinquedos e presentes que elas viram em propagandas. Quase 50% delas obtiveram informações em vídeos no YouTube e 32,59% em anúncios na televisão.

“Nos anos anteriores, havia uma diferença muito grande entre os itens presenteados. Neste ano, há uma distribuição mais homogênea entre brinquedos e roupas. Historicamente, as crianças sempre influenciaram muito na decisão de compra. Neste ano, devido ao distanciamento social, as crianças estão tendo pouco contato com tios, padrinhos, avós, por exemplo, e estão em isolamento com os pais, o que afeta na hora da decisão de compra por elas não falarem do desejo de determinado brinquedo”, avalia o gerente Administrativo Financeiro da CDL Caxias do Sul.

Mais de 45% dos entrevistados afirmaram que farão as compras para o Dia das Crianças na semana da data e 31% na véspera. A agilidade no atendimento (26%), a diversidade nas opções de presentes (15,71%), os produtos de qualidade (11,71%) e a identificação clara dos preços (10,86%) estão entre os fatores que mais interessam o público.

O levantamento apontou, ainda, que 73,5% dos consumidores estão priorizando o varejo caxiense por conta da crise econômica causada pelo coronavírus. E apenas 2,15% dos participantes da pesquisa disseram que não irão adquirir os produtos para o Dia das Crianças no comércio local. A preferência segue pelo atendimento presencial, sendo que 58,6% devem ir em lojas de rua do centro, 12,37% nas de bairros, 19,89% em shoppings e apenas 6,45% pretendem comprar via comércio eletrônico (local e de outras cidades). 

“Estamos caminhando para uma virada de página, deixando o pior para trás. O clima é animador com a estabilização dos casos de Covid-19. Estamos num processo de retomada econômica e acredito que nas próximas datas comemorativas teremos um desempenho melhor”, finaliza Cervieri.

A pesquisa de intenção de compras da CDL Caxias foi realizada com 387 moradores de diferentes pontos de Caxias do Sul. O levantamento tem índice de confiança de 95% e margem de erro de 5% para mais ou para menos.

Destaques da pesquisa:
• 40,31% devem presentear neste Dia das Crianças (em 2019 eram 56,78% e em 2018 57,69%);
• 45,77% dos presentes serão destinados aos filhos, seguido de afilhados (22,54%), de sobrinhos (16,20%) e de netos (13,38%);
• 97,85% dos consumidores vão adquirir produtos no comércio local;
• 73,5% dos entrevistados consideram importante priorizar o varejo caxiense em meio à crise econômica, sendo que 44,37% adquirem produtos exclusivamente na cidade;
• Apenas 17,31% dos entrevistados disseram que as compras para a data serão muito afetadas pelo coronavírus, já 61,54% afirmaram que prejudica pouco e 21,15% em nada;
• O ticket médio deve ser de R$ 198,11 por pessoa (em 2019 foi R$ 228 e em 2018 R$ 201,96);
• Brinquedos (46,71%), roupas e calçados (36,85%) e celulares, eletrônicos e games (8,55%) serão os itens mais procurados. Em 2019, os mesmo itens representavam 53,5%, 25,5% e 9,1%, respectivamente;
• 45,27% devem comprar na semana do Dia das Crianças (5 a 12 de outubro), 31,08% na véspera e 5,41% no dia;
• 49% dos consumidores pretendem pagar em dinheiro, 32,45% no cartão de crédito e 15,23% no cartão de débito;
• Entre os fatores que ajudam na decisão de compra estão a agilidade no atendimento (26%), a diversidade nas opções de presentes (15,71%) e produtos de qualidade (11,71%).

Confira todos os dados da amostragem clicando no link abaixo:

BAIXE A PESQUISA COMPLETA AQUI

Você também pode gostar

Deixe um comentário