Dicas para chegar ao sucesso pelo caminho certeiro (ainda que mais difícil)

O seu cérebro, o seu jeito de treiná-lo e a maneira como você costuma pensar seguem padrões que podem contribuir muito para a sua performance profissional positiva, fazendo você vender mais, por exemplo, ou negativa, tornando dias ruins ainda piores. Sua mente ainda é poderosa para a conquista do sucesso. Mas é preciso insistir para que ela não fique preguiçosa. Diante de um desafio, a reação comum do cérebro é fugir para um caminho mais fácil, fazer a curva para a zona de conforto. Tem lógica: caminhos conhecidos evitam mais erros. Mas percorrer os mesmos trajetos de sempre pode ser o motivo de atrasar a chegada onde você deseja.

Desobedeça a rota automática da sua mente! A seguir, dicas de como lidar com cada desafio pela rota alternativa.

O desafio: receber elogios.

A rota comum: ficar constrangido, desmerecer seu feito, não acreditar.

Outro caminho: receba bem, seja grato e entenda que elogios também mostram que você é capaz.

 

O desafio: falar em público.

A rota comum: ficar nervoso, ter medo de errar e de ser julgado, evitar.

Outro caminho: enfrente a garganta seca, o vermelhão, as mãos trêmulas. Apoie-se na segurança de que, se você foi escolhido para falar em público, certamente é porque sabe do que está falando.

 

O desafio: lidar com muita informação.

A rota comum: ter preguiça mental, desinteressar-se.

Outro caminho: a informação é um bem cada vez mais acessível a todas as áreas. Embora você saiba muito, admita que não sabe tudo. Saber tudo não deve ser a meta; saber mais, sim.

 

O desafio: falta de tempo.

A rota comum: trabalhar demais e conviver com a sensação de produzir pouco.

Outro caminho: organize a sua rotina e concentre-se nas suas prioridades. Faça bem feito o que se dispuser a fazer e aprenda a delegar tarefas.

 

O desafio: ouvir críticas.

A rota comum: não aceitar, levar para o lado pessoal, desmotivar-se.

Outro caminho: ouça todas as críticas com atenção. E selecione o que for útil. Lembre-se: uma crítica só pode ser, de fato, construtiva, se quem ouve usá-la para refletir e melhorar.

 

O desafio: administrar conflitos.

A rota comum: brigar ou guardar o rancor.

Outro caminho: os dois caminhos mais comuns são prejudiciais. O lado útil dos conflitos profissionais é que eles mostram a face mais real das pessoas. E entender essas diferenças é a oportunidade de fazer as suas escolhas, adaptar-se, relevar o que for possível, mudar quando for preciso.

 

O desafio: vender seu peixe.

A rota comum: não confiar no seu produto/serviço, não ampliar o networking.

Outro caminho: a primeira aproximação é sempre mais difícil, mas é fundamental para ampliar suas oportunidades de crescimento. Acredite do seu negócio, pense quem pode ser um multiplicador da sua ideia e faça parcerias. O não você já tem. Corra atrás do sim!

 

O desafio: admitir seus erros.

A rota comum: desconsiderar, ser arrogante, procurar culpados.

Outro caminho: admita, primeiro a si mesmo, que errar faz parte do cotidiano. Esse é o primeiro passo para perdoar a si mesmo e seguir em frente. Admitir o erro aos que estão ao seu redor tem o mesmo potencial motivador para acertar da próxima vez.

 

O desafio: discorde dos seus superiores.

A rota comum: evitar constrangimentos, ter medo, “fazer o que mandam”.

Outro caminho: alguém que obedeça a cada ordem sem discutir pode parecer útil à empresa, mas colabora pouco com o seu crescimento. Discordar é diferente de tornar-se implicante. Se você acha que algo pode mudar para melhor, apresente a sua opinião, a sua crítica construtiva. Um bom líder saberá ouvir e considerar as suas contribuições.

 

Gostou das dicas?

Deixe uma resposta