Anote suas despesas/rendimentos: cada vez mais brasileiros estão controlando seu dinheiro assim

Você sabe em que mês de 2018 você teve a maior despesa nas contas domésticas? Sabe quanto do seu rendimento foi destinado a cada tipo de gastos? Sobrou dinheiro para aplicar? Afinal, onde você gasta o seu dinheiro? Um ano é “muita coisa para a sua cabeça”? Falemos da semana passada então: você saberia dizer, sem muito esforço, quanto gastou?

Se a sua resposta para perguntas assim é “não faço a menor ideia”, você integra uma parcela preocupante dos brasileiros:  36% não anotam suas despesas em lugar algum, conforme recente pesquisa do SPC. Tomar nota dos gastos é fundamental para uma vida financeira saudável. A falta desse controle normalmente nos faz gastar mais do que deveríamos: no ano passado, 73% dos brasileiros viram as dívidas superar os rendimentos. Boa parte, nem viu “aonde errou”.

Veja 7 dicas para sair do vermelho

A pesquisa, no entanto, traz uma boa notícia: o número de pessoas que acompanha e analisa seus ganhos e gastos – ainda que isso não seja o suficiente para nunca estar no vermelho – aumentou de 55% em 2017 para 63% ao final de 2018. O método mais usado é o velho (e funcional) caderninho, aliado de 33% das pessoas que responderam à pesquisa. A planilha no computador, que facilita a análise e permite cálculos mais avançados, é rotina  de 20% dos entrevistados.

Com esse mesmo intuito, de ter um arquivo inteligente de rendimentos e gastos, 10% recorrem a aplicativos financeiros para smartphone: sempre no bolso, disposto a registrar gastos quase que em tempo real sem deixar escapar nem os centavos de uma balinha. Outros 19% confiam na memória e no “cálculo de cabeça” (não aconselhamos), e 3% delegam a tarefa para outra pessoa (melhor assim, se você, definitivamente, não conseguir se disciplinar às anotações).

Não importa qual seja o seu método de controle: use! Veja nossas dicas para aprimorá-lo:

PLANEJAMENTO

Sem ele, sua planilha de controle (ainda que útil) passa a ser somente uma prova de que você está gastando dinheiro… sem controle.  A pesquisa do SPC também mostra um avanço nessa consciência: 56% dos entrevistados tiram o melhor proveito da planilha, ou seja, planejam o orçamento com antecedência e analisam a expectativa de receitas e despesas pelo menos para os 30 dias seguintes.

Veja os 5 principais erros do controle de finanças.

CADA MÊS É UM

Um erro comum é presumir que todo mês será igual em receitas e despesas. Se você possui uma média dos seus gastos fixos, já é meio caminho andado. Agora some todos suas despesas sazonais, como IPTU, IPVA, material escolar, férias, etc – falamos sobre a “surpresa” com elas aqui  – e divida por 12 meses. Isso vai ajudá-lo a economizar durante o ano o suficiente para quitá-las quando elas chegarem.

NÃO DÊ DESCULPAS

Conforme a pesquisa, as justificativas mais comuns de quem não tem controle financeiro são: “não preciso porque calculo ‘de cabeça’” (23%), “não tenho disciplina” (18%), “tenho preguiça” (12%) e “não tenho tempo” (11%). Conforme os especialistas: é tudo balela! Se você dá importância aos gastos, não será o excesso de confiança na memória, a preguiça ou a falta de tempo que o fará deixar de anotar. Nem a dificuldade em administrar as anotações. Para 62% dos entrevistados, não é fácil manter o controle pelo motivo de, por exemplo, não ter rendimentos fixos ou disciplina para administrar finanças. E, ainda assim, controlam.

E você, administra como suas despesas/rendimentos? Conte pra gente nos comentários deste post!

Deixe uma resposta