As 8 competências essenciais para o mundo dos negócios

Você consegue separar o que é urgente do que é importante? E como anda a sua capacidade de resiliência? É capaz de se adaptar às mudanças e de trabalhar com diferentes gerações?

Esses e outros questionamentos foram feitos durante a Escola de Negócios do mês de abril, aos associados da CDL Caxias. Nas aulas, o professor da área de vendas, negociação e marketing da UCS José Amaro Pedron tratou do tema “Gestão de Pós-Vendas e Retenção de Clientes”.

Veja o que ele recomendou sobre competências essenciais para o mundo dos negócios, tanto para quem é dono, quanto para quem é funcionário da empresa.

1- Agilidade na tomada de decisão

Hoje, ninguém tem tempo sobrando. E o cliente também não. Precisamos entender o que o cliente quer sem perder tempo. Entender a sua necessidade, a sua dor e apresentar a nossa solução. Mas ser rápido nesse processo. “Algumas empresas tem um timming de resposta para uma proposta de uma semana, e isso é muito tempo, não dá mais. Tem que ser assertivo no tempo e objetivo com os clientes”, sugere o professor.

2- Espírito empreendedor

O espírito empreendedor precisa existir não apenas em quem está nos cargos de gerência, destaca Pedron. “Um executivo, um vendedor de loja, se quer crescer, fazer carreira, tem que ter espírito empreendedor, que é o espírito de fazer acontecer. Tem um livro que diz que só tem poder quem age. Não adianta ficar só no conhecimento, na habilidade. Espírito empreendedor é executar as coisas. Qual a diferença do empresário para uma pessoa comum? Ele age, ele faz a coisa acontecer. Ele executa aquilo que ele planejou – às vezes nem planejou – mas vai lá e faz, e muitas vezes se quebra, paciência. Tem que planejar e fazer”.

3- Foco em resultados

Para quem é do setor comercial, este é o tópico mais importante, porque o foco precisa ser este: resultado. “Às vezes falta recursos? Falta. Mas tem que conseguir resultados mesmo assim. Você não é o que diz que é, você é o resultado que apresenta. E quem não consegue trabalhar com essa cobrança de resultado, no mercado competitivo em que vivemos, não está adaptado para atuar nas áreas comerciais”.

4- Orientação para custos

Otimizar é a palavra principal desse tópico, de acordo com o professor. “Ter orientação para custos é saber economizar nas coisas, buscar alternativa melhores para os gastos da empresa. Se a pessoa é gerente de uma empresa e não tiver essa orientação para custos não dá certo.”

5- Resiliência

“Capacidade de se readequar, de se modelar, criar empatia… Adaptar-se ao ambiente, às inovações, às gerações que trabalham em conjunto. É preciso se remodelar ao mundo, ao momento.”

6- Habilidade de negociar

“Esse é o nosso chão”, diz o professor Pedron. “O indivíduo que não sabe negociar, que não sabe se vender, vender sua solução, seu produto, está com problema. Há gente muito competente e eficiente, mas que não sabe vender o seu peixe, não tem argumentos, habilidade de negociação.”

7- Senso de urgência e importância

Separar as prioridades. Você sabe fazer isso no seu dia a dia de trabalho? “Isso, muitas vezes, é uma grande confusão. Nem sempre aquilo que é urgente é importante”, diz Pedron, que recomenda que o profissional analise o tempo que se dedica a determinadas atividades, a determinados clientes. “Isso está ligado ao que priorizamos. A palavra ‘senso’ está ali por um motivo. E este é um dos tópicos mais difíceis. Qual é a referência no critério de prioridades? É o teu negócio. Que impacto isso vai dar de resultado no negócio? Ali se define o importante e o urgente.”

8- Visão sistêmica e proativa

O profissional, mesmo estando responsável por uma parte do processo, precisa conhecer o processo todo. “Mesmo que seja colocar o parafuso. Saber o que aquele parafuso faz, porque ele vai importar lá na frente… É aquela história: um pedreiro pode responder que seu trabalho é apenas colocar um tijolo em cima do outro. E outro pedreiro, da mesma obra, responder que está construindo a maior catedral da cidade. A função dos dois é a mesma, mas a visão sistêmica é diferente. E proatividade é estar aberto. Estar aberto a receber coisas novas, a receber sugestões, críticas. É estar sempre disponível.”

O que acharam das sugestões da Escola de Negócios de Abril? Em maio, o tema das aulas será Instagram e Facebook para Negócios. Se interessou? Fale conosco e matricule-se!

Deixe uma resposta