Como calcular o preço de venda: passo a passo para ser mais eficiente

Calcular o preço da venda é uma ação primordial para todas as empresas, principalmente aquelas que estão entrando no mercado. Isso porque o preço de venda é o principal item para realizar o planejamento de vendas de uma organização, colaborando para que um negócio consiga fluir e ao mesmo tempo gerar lucros para si.

Entretanto, para estipular o preço que será atribuído é necessário a realização de análise bem aprofundada a respeito de diversos aspectos do mercado.

Pensando nessa questão, o texto a seguir tem o intuito de simplificar o planejamento de vendas das empresas, demonstrando os principais passos para manter a eficiência de um negócio.

Um erro muito comum, para quem atua com vendas, é não ver tanta importância em dar foco necessário para a análise e organização de valores a que devem ser atribuídos aos produtos.  Por esse motivo, uma empresa de automação residencial, por exemplo, ao realizar uma pesquisa detalhada sobre o mercado em que atua e acaba percebendo que o seu serviço de automação é mais qualificado do que o de outras empresas, pode considerar a opção de aplicar valores acima dos concorrentes.

 A importância de calcular o custo de um produto ou serviço

Com isso, nota-se que o preço, na maioria das vezes, está atrelado à qualidade do que é oferecido pelas empresas, já que um serviço com maior qualidade, geralmente demanda custos maiores. 

O preço de venda é o valor atribuído por uma empresa referente aos seus produtos e serviços, os quais serão pagos pelos consumidores. Como a arrecadação de dinheiro é a única maneira de sustentar um negócio, o preço de venda deve ser, no mínimo, capaz de cobrir todos os gastos envolvidos na manutenção dele.

Desse modo, o preço de venda deve ser capaz de englobar três fatores importante:  os custos, as despesas e o lucro da empresa.

Os custos são os valores que uma empresa precisa investir para produzir o seu produto, o qual será oferecido para os clientes. Geralmente, os administradores colocam dentre os custos todos os valores que precisam ser pagos a fornecedores. Assim, a base dos  custo de uma fábrica de pia de aço inox, por exemplo, provavelmente é referente ao valor pago pelas chapas de aço que são transformadas em pias.

As despesas são um valor gasto pelas empresas e está relacionado ao investimento que deve ser feito para conquistar o objetivo da empresa, vender um produto ou um serviço. Entra nesse aspecto  também os gastos administrativos, como funcionários, locação de espaço, entre outros.  

Para exemplificar essas despesas, veja os fastos que uma empresa que vende gerador de energia solar podem ter:

  • Gastos de água e luz para o funcionamento da empresa;
  • Pagamentos de impostos e de comissões;
  • Aluguel;
  • Investimentos em publicidade;
  • Contratação de funcionários;
  • Impostos.

O lucro é basicamente todo o retorno financeiro que uma empresa deseja ter ao fazer a venda de um serviço ou de um produto. Visando que seu investimento em custos e despesas, obtiveram resultados. 

Além disso, é preciso analisar esse retorno e se tem sido semelhante as expectativas. Por exemplo, uma loja virtual de vidrarias para laboratório, desejar atribuir um preço baixo para o seus produtos, com o intuito de conseguir mais clientes, porém sem precisar cortar gastos.

 Com isso a probabilidade é que as taxa de lucro seja menor,  consequentemente resulta em uma empresa que não cresce e nem perde mercado: ela é sustentável.

Calcule os gastos necessários

Os gastos compõem um fator decisivo para o cálculo do preço de venda de um produto. Nesse sentido, a empresa deve ser capaz de analisar quais são os principais valores que precisam ser pagos para a realização de um serviço ou para a produção de alg, como listado anteriormente. 

 Dependendo do porte da organização, como é o caso de indústrias, existem uma série de gastos que precisam ser levados em consideração.

Com isso, percebe-se que para manter o funcionamento de uma indústria que produz peças de aço, atribui-se mais custoso do que, por exemplo,  abrir uma loja que revenda apenas tubo inox dessa mesma indústria. 

De qualquer forma, é preciso ter todos esses gastos na ponta do lápis para se certificar de que nada ficará de fora do preço de venda.

Nesse sentido, é possível ver que, às vezes, quanto mais uma empresa produz um produto, menos ela pode cobrar no valor dele. 

Ou seja, ao produzir uma série de lotes de telha metálica sanduíche, por exemplo, uma indústria especializada em itens de metal consegue espalhar os seus gastos para uma quantidade maior de produtos. Isso explica porque produções em massa oferecem bens de consumo mais em conta do que produtos artesanais.

 Fique de olho na concorrência

Manter-se a par de quanto os concorrentes de uma empresa dentro de um determinado segmento estão lucrando com os produtos vendidos é uma tarefa primordial para ter ideia de quanto é possível arrecadar nesse ramo. Para isso deve-se começar observando os valores dos serviços. 

Se uma empresa que presta serviços de pintura de prédio, por exemplo, cobra um valor pela pintura muito acima do que os seus concorrentes, ela precisa “justificar” aquele preço. Ou seja, o serviço deve ter algum diferencial ou deve ter uma qualidade maior do que outras empresas, consequentemente essa empresa tem um lucro maior no ramo que atua,

Uma dica importante para quem está iniciando os negócios, é que o recomendado é cobrar um preço de venda padrão ao da média do mercado, até conquistar clientes e apresentar  a qualidade do serviço. Isso porque, deve-se tem em vista que empresas iniciantes ainda não possuem uma imagem consolidada e muito menos a confiança dos consumidores.  

Evite as perdas

Embora pareça óbvio, as perdas monetárias podem ser um choque brusco para o preço de venda estipulado por uma empresa. Isso porque as perdas nada mais são do que aqueles valores os quais não foram previstos anteriormente e que não oferecem nenhum retorno financeiro.

Entender as perdas, pode ser uma tarefa  complicada, afinal, ninguém é capaz de prever o futuro. Imprevistos como problemas na economia do país, erros no transporte de produtos, greves, baixa produtividade de fornecedores e etc… Podem ser qualificados como perdas substanciais para uma organização, sobre as quais, muitas vezes, não dá para ter um controle. 

Entretanto, em alguns casos, é possível ter uma certa ideia do que pode prejudicar ou não uma empresa. Desse modo, pode-se pensar em fazer uma análise completa da transportadora que está sendo contratada para o transporte de produtos com o intuito de evitar que os serviços dela sejam de má qualidade, prejudicando o ritmo de produção de uma indústria. 

Uma área de planejamento estratégico pode ser criada dentro das empresas para que mudanças prejudiciais no mercado possam ser previstas, permitindo que os negócios se preparem para possíveis baques os quais poderiam levá-los à falência.

Com isso, uma firma que realiza o serviço de montagem de painéis elétricos, por exemplo, percebendo que uma nova tecnologia de montagem estava sendo desenvolvida por algumas empresas rivais, pode investir no treinamento dos seus funcionários para assegurar de que o serviço entregue ao consumidor seja de acordo com as necessidades e expectativas dele.

 Precifique os seus produtos

Após levar todos os fatores citados em consideração, é hora de entrar em ação e precificar corretamente os produtos ou serviços oferecidos em uma empresa. Todavia, é necessário ficar atento a possíveis alterações no mercado que podem acabar influenciando no valor de um produto.

Um bom exemplo é a inflação, a qual força os negócios a ampliarem os seus preços de venda constantemente. Portanto, definir um preço de venda não é uma tarefa que deve ser feita em um único momento. É preciso fazer uma análise frequente a respeito da realidade dos mercados para que as empresas não fiquem para trás nessa questão.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta